Girlene Lima Portela | LinkedIn Acompanhe no Twitter Curta no Facebook Visualize no Flickr Assista no YouTube
 Artigos
1 2 3 4 5 6 7 Próxima >>

Resenha do artigo Ler para compreender; escrever para interagir: o papel dos processos e das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação.

14/06/2018 - Cristina Sulivania Oliveira Nunes

PORTELA, Girlene Lima. Ler para compreender; escrever para interagir: o papel dos processos e das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação. Revista Diadorim, v.09. Rio de Janeiro: UFRJ, 2009. p. 103-116. Disponível em: http:/revistadiadorim.letras.ufrj.br/index.php/revistadiadorim/article/view/114. Acesso em 04/05/2018.

 

A pesquisadora Girlene Lima Portela é Doutora e PhD em Educação, pela Université de Sherbrooke (2003) e Mestre em Linguística, pela UNICAMP (1999). Desenvolve pesquisas nas áreas de ensino-aprendizagem e de estudos semióticos e discursivos. Atualmente é professora PLENA da Universidade Estadual de Feira de Santana e atua nos cursos de Graduação, Especialização e no Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS). Autora do livro Da Tropicália à Marginália: O intertexto (“a que será que se destina?”) na produção de Caetano Veloso e demais artigos acadêmicos.

 

O artigo sob análise apresenta uma discussão sobre o papel dos processos e das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação, as contribuições advindas do processo da leitura e da escrita e expõe algumas estratégicas para o aperfeiçoamento da atuação do professor.

O artigo em questão, intitulado “Ler para compreender; escrever para interagir: o papel dos processos e das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação” é composto por catorze páginas, incluindo resumo, introdução, considerações finais e referências bibliográficas. Sua estrutura interna está selecionada em dois tópicos principais, sendo o primeiro tópico em quatro subdivisões importantes e o segundo seis subdivisões de extrema relevância para a argumentação proposta pela investigadora. 

Ao iniciar o artigo, a autora salienta os desafios da educação em auxiliar os estudantes a organizarem suas ideias para redigir um texto e menciona que uma das barreiras enfrentadas pelos estudantes na produção de um texto é curto tempo, que interfere na qualidade textual. Assim, a autora explana os processos e subprocessos de escrita e as contribuições de ler para compreender. A articulista destaca quatro importantes etapas para construir um texto de qualidade. A primeira etapa é a pré-escrita, onde o professor propõe para o aluno uma escrita espontânea e o mesmo desenvolve suas ideias, e esboço de sua produção. A segunda etapa está relacionada ao rascunhar para planejar, onde o aluno desenvolverá os seus conhecimentos prévios e terá a leitura como base para preparação do texto.

A terceira etapa é passar a limpo para atualizar, onde o aluno deve retornar às etapas anteriores para se assegurar da eficácia do seu texto e reescrevê-lo com a ajuda de um mediador. A quarta e última etapa é revisar para (auto-)avaliar, onde o professor vai incentivar o estudante à prática da revisão e da avaliação textual, para o mesmo desenvolver suas potencialidades e as setes estratégias de escrita, que são: a motivação (Ela pode ser intrínseca ou extrínseca), a planificação, a antecipação, a tempestade de ideias (Brainstorm), a modelação, a consolidação e o feedback.

No segundo tópico desenvolvido, a autora apresenta a aplicação da teoria e as etapas a serem seguidas para o sucesso da escritura. A primeira é a etapa diagnóstica, nela, o discente buscará compreender melhor o seu papel de escritor e as dificuldades relacionadas aos aspectos linguísticos, pragmáticos, gramaticais e textuais, visto que, na consulta a bons materiais, haveria uma melhor sistematização. Na segunda etapa, o aluno deve explorar seu próprio texto e comparar as dificuldades enfrentadas pelos pares às suas. O primeiro subtópico é o conhecimento e desenvolvimento de estratégias de escrita. O docente deve solicitar que o discente aponte suas estratégias com base nas questões relacionadas à leitura, escrita e nas propostas do docente, que são: atividades de antecipação, consolidação, Brainstorming, modelização e feedback, para promover uma melhor sistematização de suas aulas.

 O segundo subtópico está relacionado aos objetivos das estratégias, que é interpretar o enunciado da questão que lhe é proposta e estruturar a situação que lhe é apresentada. Outro subtópico refere-se à análise e registro dos progressos, onde os alunos deverão organizar seus textos por categorias, a fim de melhor visualizar seus progressos. O quarto subtópico compete à publicação das produções, que se refere à devolutiva do desempenho e a publicação das produções textuais em revistas e jornais. O quinto subtópico relaciona-se ao ato de escrever textos variados e à importância de algumas sugestões acerca dos tipos textuais. O sexto e último subtópico ocupa-se da escrita de um texto e as três etapas para resolução de um problema, segundo Portela (2009), que são: um problema se organiza em torno de uma arrumação, uma indução e uma transformação.

O artigo referido apresenta relevantes contribuições da linguística textual para o ensino-aprendizagem de redação e a relação do binômio leitura/escrita, que devem nortear a atuação do professor de redação e contribui positivamente para o progresso e o desenvolvimento do estudante em relação às estratégias de escrita e aos processos e subprocessos de escrita. Contudo, se entende que o binômio leitura/escrita são práticas sociais, que estão relacionadas com o comportamento social do ser humano e conduz à reflexão acerca do funcionamento da língua e seu papel como instrumento de comunicação em diversas situações.  É importante salientar, que a articulista apresenta um domínio sobre os estudos da linguística textual e possui uma capacidade de síntese, coesão e aclara acerca da importância de construir uma redação, as estratégias de escrita e o papel dos processos.  

A apresentação e a análise das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação, do artigo já mencionado, podem contribuir no desenvolvimento e na formação dos professores de língua. Dessa forma, a leitura do referido artigo, oferece propostas válidas para os estudantes graduandos em letras, refletirem sobre as práticas do ensino-aprendizagem de leitura e escrita, os processos de produção textual, os aspectos textuais e os fatores de textualidade marcantes nos textos e nortear os discentes com base nos estudos da Linguística Textual e suas contribuições metodológicas e didáticas.

Deixe seu comentário
Visual CAPTCHA
 
 

LINGUAGENS

  • Guia para fingir inteligência

    Este pequeno guia tentará dar algumas táticas simples para fingir erudicao, cultura...

    CONTINUE LENDO
  • When Nietzcshe wept (by Irvin D. Yalon)

    Expressa, através de relações entre seres imperfeitos, mas com carreiras con...

    CONTINUE LENDO
Interaja Conosco
 
Amor

William Shakespeare, Amor, Amizade

Belíssimo texto de William Shakespeare, que nos faz refletir sobre o Amor em suas variadas formas!

Álbuns
® Girlene Portela - 2018. Todos os direitos reservados. Bahia - Brasil Desenvolvido por Otavio Nascimento