Girlene Lima Portela | LinkedIn Acompanhe no Twitter Curta no Facebook Visualize no Flickr Assista no YouTube
 Artigos
<< Anterior 1 2 3 4 5 6

Resenha do artigo Ler para compreender; escrever para interagir: o papel dos processos e das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação.

14/06/2018 - Cristina Sulivania Oliveira Nunes

PORTELA, Girlene Lima. Ler para compreender; escrever para interagir: o papel dos processos e das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação. Revista Diadorim, v.09. Rio de Janeiro: UFRJ, 2009. p. 103-116. Disponível em: http:/revistadiadorim.letras.ufrj.br/index.php/revistadiadorim/article/view/114. Acesso em 04/05/2018.

 

A pesquisadora Girlene Lima Portela é Doutora e PhD em Educação, pela Université de Sherbrooke (2003) e Mestre em Linguística, pela UNICAMP (1999). Desenvolve pesquisas nas áreas de ensino-aprendizagem e de estudos semióticos e discursivos. Atualmente é professora PLENA da Universidade Estadual de Feira de Santana e atua nos cursos de Graduação, Especialização e no Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS). Autora do livro Da Tropicália à Marginália: O intertexto (“a que será que se destina?”) na produção de Caetano Veloso e demais artigos acadêmicos.

 

O artigo sob análise apresenta uma discussão sobre o papel dos processos e das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação, as contribuições advindas do processo da leitura e da escrita e expõe algumas estratégicas para o aperfeiçoamento da atuação do professor.

O artigo em questão, intitulado “Ler para compreender; escrever para interagir: o papel dos processos e das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação” é composto por catorze páginas, incluindo resumo, introdução, considerações finais e referências bibliográficas. Sua estrutura interna está selecionada em dois tópicos principais, sendo o primeiro tópico em quatro subdivisões importantes e o segundo seis subdivisões de extrema relevância para a argumentação proposta pela investigadora. 

Ao iniciar o artigo, a autora salienta os desafios da educação em auxiliar os estudantes a organizarem suas ideias para redigir um texto e menciona que uma das barreiras enfrentadas pelos estudantes na produção de um texto é curto tempo, que interfere na qualidade textual. Assim, a autora explana os processos e subprocessos de escrita e as contribuições de ler para compreender. A articulista destaca quatro importantes etapas para construir um texto de qualidade. A primeira etapa é a pré-escrita, onde o professor propõe para o aluno uma escrita espontânea e o mesmo desenvolve suas ideias, e esboço de sua produção. A segunda etapa está relacionada ao rascunhar para planejar, onde o aluno desenvolverá os seus conhecimentos prévios e terá a leitura como base para preparação do texto.

A terceira etapa é passar a limpo para atualizar, onde o aluno deve retornar às etapas anteriores para se assegurar da eficácia do seu texto e reescrevê-lo com a ajuda de um mediador. A quarta e última etapa é revisar para (auto-)avaliar, onde o professor vai incentivar o estudante à prática da revisão e da avaliação textual, para o mesmo desenvolver suas potencialidades e as setes estratégias de escrita, que são: a motivação (Ela pode ser intrínseca ou extrínseca), a planificação, a antecipação, a tempestade de ideias (Brainstorm), a modelação, a consolidação e o feedback.

No segundo tópico desenvolvido, a autora apresenta a aplicação da teoria e as etapas a serem seguidas para o sucesso da escritura. A primeira é a etapa diagnóstica, nela, o discente buscará compreender melhor o seu papel de escritor e as dificuldades relacionadas aos aspectos linguísticos, pragmáticos, gramaticais e textuais, visto que, na consulta a bons materiais, haveria uma melhor sistematização. Na segunda etapa, o aluno deve explorar seu próprio texto e comparar as dificuldades enfrentadas pelos pares às suas. O primeiro subtópico é o conhecimento e desenvolvimento de estratégias de escrita. O docente deve solicitar que o discente aponte suas estratégias com base nas questões relacionadas à leitura, escrita e nas propostas do docente, que são: atividades de antecipação, consolidação, Brainstorming, modelização e feedback, para promover uma melhor sistematização de suas aulas.

 O segundo subtópico está relacionado aos objetivos das estratégias, que é interpretar o enunciado da questão que lhe é proposta e estruturar a situação que lhe é apresentada. Outro subtópico refere-se à análise e registro dos progressos, onde os alunos deverão organizar seus textos por categorias, a fim de melhor visualizar seus progressos. O quarto subtópico compete à publicação das produções, que se refere à devolutiva do desempenho e a publicação das produções textuais em revistas e jornais. O quinto subtópico relaciona-se ao ato de escrever textos variados e à importância de algumas sugestões acerca dos tipos textuais. O sexto e último subtópico ocupa-se da escrita de um texto e as três etapas para resolução de um problema, segundo Portela (2009), que são: um problema se organiza em torno de uma arrumação, uma indução e uma transformação.

O artigo referido apresenta relevantes contribuições da linguística textual para o ensino-aprendizagem de redação e a relação do binômio leitura/escrita, que devem nortear a atuação do professor de redação e contribui positivamente para o progresso e o desenvolvimento do estudante em relação às estratégias de escrita e aos processos e subprocessos de escrita. Contudo, se entende que o binômio leitura/escrita são práticas sociais, que estão relacionadas com o comportamento social do ser humano e conduz à reflexão acerca do funcionamento da língua e seu papel como instrumento de comunicação em diversas situações.  É importante salientar, que a articulista apresenta um domínio sobre os estudos da linguística textual e possui uma capacidade de síntese, coesão e aclara acerca da importância de construir uma redação, as estratégias de escrita e o papel dos processos.  

A apresentação e a análise das estratégias de escrita no ensino-aprendizagem de redação, do artigo já mencionado, podem contribuir no desenvolvimento e na formação dos professores de língua. Dessa forma, a leitura do referido artigo, oferece propostas válidas para os estudantes graduandos em letras, refletirem sobre as práticas do ensino-aprendizagem de leitura e escrita, os processos de produção textual, os aspectos textuais e os fatores de textualidade marcantes nos textos e nortear os discentes com base nos estudos da Linguística Textual e suas contribuições metodológicas e didáticas.

Deixe seu comentário
Visual CAPTCHA
 
 

LINGUAGENS

  • As Memórias do Livro (Geraldine Brooks)

    Conta a saga dos religiosos que teimam em professarem sua fé e tem como pano de fundo a di...

    CONTINUE LENDO
  • Carta a D. História de um Amor (André Gorz)

    Narra a história de um casal real, de um amor real, que transcende o entendimento do que v...

    CONTINUE LENDO
Interaja Conosco
 
Amor

William Shakespeare, Amor, Amizade

Belíssimo texto de William Shakespeare, que nos faz refletir sobre o Amor em suas variadas formas!

Álbuns
® Girlene Portela - 2018. Todos os direitos reservados. Bahia - Brasil Desenvolvido por Otavio Nascimento