PARA REFLETIR
  • "Este mundo não é mais que uma tela para nossa imaginação. Os sonhos são a pedra de toque de nosso caráter". (Henry Thoreau)
  • "Tudo o que me diz respeito, a começar pelo meu nome, chega do mundo exterior à minha consciência pela boca dos outros [...] com a sua entonação, em sua tonalidade valorativo-emocional. A princípio eu tomo consciência de mim através dos outros: deles eu recebo as palavras, as formas e a tonalidade para a formação da primeira noção de mim mesmo". (BAKHTIN, 2003, p. 374).
  • O que é viver, senão enxergar além das aparências, dos sorrisos dos perfis, das versões contadas, da captura de momentos irrepetíveis e, às vezes, fugazes. Viver vai além do que teimamos em demonstrar. Viver é estar em equilíbrio entre o que experienciamos e o que divulgamos, entre a dor e a alegria, entre o que vemos/sentimos e o que nos permitimos ver/sentir, entre a realidade e a fantasia. (Girlene Portela, 2018)
  • Quantas expulsões ainda teremos que viver, para aprendermos que não importa o que os outros pensam sobre o que fazemos, pensamos ou dizemos, quando nos expulsam, mas apenas a certeza de que necessitamos continuar a incomodar para que o mundo se transforme, pois viver eternamente no Paraíso é não sair de cima do muro. E, vamos combinar: deve ser muito mais incômodo se equilibrar sobre um muro que se equilibrar na justeza de nossas crenças. (Girlene Portela)
  • "A arte existe para que a realidade não nos destrua". (Nietzsche)
  • "Quase nada no mundo pode deter uma pessoa com atitude positiva que tenha meta bem clara". (Herbert Casson)
  • "Não podemos aprender nada de novo até que possamos admitir que ainda não sabemos de tudo". (Erwin Hall)
  • "Compartilhar o torna mais do que você é. Quanto mais você der para o mundo, mais a vida poderá retribuir". (Jim Rohn)
  • “A tarefa não é tanto ver aquilo que ninguém viu, mas pensar o que ninguém ainda pensou sobre aquilo que todo mundo vê". (Arthur Schopenhauer)
  • "O discurso é um espaço de exterioridade em que se desenvolve uma rede de lugares distintos". (Foucault)